terça-feira, 31 de maio de 2016

Poema 03

There are night that I miss
More than your cuddling
I miss you between my hips
Making me moaning
---
I can taste on my mouth
My tongue on your body
I get wet just thinking about
Long hours riding
---
You know I'm not a saint
You can see when I turn you on
But when you make me insane
I don't even have to ask for
---
So please come over
My body asks
I can wait no longer
To feel again our sex

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Poema 02

Tonight I lay
And then I cry
Cause I miss you more
Than the moon misses light
---
Your warm skin
And what we've become
This sweet dream
That I am back home
---
I guess you'll never know
How shinning can you be
Because whenever I'm lost
You're the only thing I see

terça-feira, 24 de maio de 2016

To the one who didn't got away

Não tive mais sonhos contigo, não sei justificar. Eu supero isso com o ato de imaginar quando estaremos juntos e mesclar com minhas lembranças de quando passamos momentos únicos. Às vezes me perco entre a realidade e a idealização mas sempre é bom, porque ocasionalmente sonharei coisas ruins que tenho certeza que você nunca seria capaz.
Muitos amigos sabem que você é a única pessoa que sabe lidar comigo, em qualquer situação. Não tem nem como começar a agradecer o alívio que isso me dá. Saber que tem alguém lá por ti, saber que independente do problema ou alegria, você tem alguém pra quem quer contar logo o que aconteceu. Isso é companheirismo e como eu nunca tive, fico desconfiada mas acabo correndo pros seus braços.
Eu posso ser uma megera às vezes. Eu posso ser descontrolada, ciumenta, grossa, são sentimentos que eu tento extinguir de mim mas eles estão muito presos no meu ser - e você sabe dos motivos. Eu peço desculpas por isso, eu jamais conseguiria te odiar, de coração. De corpo e alma, não há como expressar o quanto significa pra mim. O quanto me mudou, me ajuda, me ensina, até sem intenção, é mais do que eu posso colocar em palavras.
Eu não sei se me conheço tanto quando você me conhece. Parece estranho mas quando alguém vê de fora, vê melhor. Dos fantasmas aos prazeres, do riso às lágrimas, do ódio ao gozo, você está lá, pronto para qualquer um deles, com uma reação sempre melhor que a esperada.
Existem momentos em que o que eu mais queria era teu abraço quente junto com teu cheiro de canela e pitanga, queria tanto que você estivesse aqui para eu poder tirar um cacho dos teus olhos e sorrir maravilhada enquanto me conta sobre as fantasias que adora. É bem difícil descrever a sensação de segurança que me traz após a tormenta, quando você me acalenta à um oceano de distância e a tempestade são meus próprios pensamentos.
Existem momentos em que mesmo que eu tenha um carinho alheio, sinto falta das tuas mãos nas minhas costas e teu cafuné de noite. Sinto saudade de como me fazia enlouquecer dia e noite e como seu corpo encaixava e buscava o meu, de um modo que parecia destinado, como imaginávamos. Sua voz, sua pele, seus lábios. É uma lacuna que nada preenche.
Talvez esse texto não seja sobre amor, mas uma coisa maior. Amor é se importar com uma pessoa e cuidar dela, zelar e às vezes inclui atração, certo? Acredito que temos algo maior, sim. Quem sabe chega perto da confiança, sincera, aquela cega porém não doentia. Talvez com o nosso jeito e costumes realmente não tenha definição, eu não sei dizer. Eu sei dizer que não vejo a hora de viver contigo e te fazer sentir todas essas coisas lindas que são minhas reações quando se trata de ti.