sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Dublin

O avião decolou enquanto a frase ''maybe I've always been more comfortable in chaos' tocava no meu fone de ouvido. Por alguns segundo eu vi uma linha laranja do pôr do sol pela janela além da asa direita e todos os tons de verde que a Irlanda possui nos campos que eram cortados por algumas vias cinzas. 
De repente era tudo azul e anoitecia. Eu mal via as nuvens através das lágrimas. 
Na conexão pra São Paulo eu surtei. Antes de entrar no avião fiquei desesperada, brava e triste ao mesmo tempo. 12h me esperavam, sabendo que eu não conseguiria dormir ou comer de puro nervoso. Eu mantive o controle. 
Agora eu tenho um anel com um coração verde pra me lembrar dos 50 tons da cor do país. Pra me lembrar de uma promessa. Pra me ajudar a segurar firme quando o mundo desaba em mim. Um coração abraçado por duas mãos que significa amor, lealdade e amizade; as três virtudes que eu sempre tive dificuldade em ter na vida e encontrei em uma pessoa só, que por minha sorte, me deseja do mesmo tanto e sonha com o mesmo futuro que eu.